SERRA GERÊS [Xertelo-Carris-Cela-Xertelo]

Após vários meses a adiar este percurso finalmente surgiu a oportunidade. Saímos sem termos a certeza de quantos dias ao certo vamos demorar ou mesmo se é possível passar por onde estamos a pensar. Apesar de estarmos em Junho o tempo está relativamente fresco o que ajuda na deslocação.Partimos da pequena aldeia de Xertelo em direcção a norte tendo os Carris como objectivo. Seguimos por um óptimo caminho até atingirmos estradão vai para o Porto da Lage.

FRAGAS DA ERMIDA [via mirabilia regnum]

Localizada nas fragas que caem desde o cimo da serra do Marão esta via foi aberta em Agosto de 2012 por Rui Duarte.

Apesar de existir o conhecimento que outras vias já foram abertas nesta parede, esta foi a que acabou por ser mais divulgada, ficando as outras perdidas no tempo e na pouca divulgação.

REDINHA [Zona de escalada Sra.da Estrela]

Redinha, ou Sra da Estrela como também é conhecida, é talvez uma das mais antigas zonas de escalada no centro de Portugal. Situada a meio caminho entre o Porto e Lisboa goza de uma localização privilegiada como um miradouro virado para o mar. As vias variam entre os 7 e os 20 metros e encontram-se espalhadas por uma franja de rocha com cerca de 400 metros de cumprimento. As vias variam entre o IIIº e o 8ª grau, sendo notoriamente uma zona de iniciação à escalada face ao numero de vias acessíveis.

SERRA GERÊS [Xertelo-Lagoa Marinho-Abrotegas-Xertelo]

Saímos de Xertelo em direcção ao vale do rio Cabril. A saída é pelo caminho que vai em direcção ao moinho de cubo que está indicado na entrada da aldeia. Um pouco antes de lá chegar desviarmos à esquerda por um velho caminho de pé posto. Este está um pouco pior do que pensamos inicialmente mas passa-se. Existem outras duas opções: seguir um caminho que existe nas cartas e que atravessa o rio um pouco antes do estreitamento (que não sabemos o seu estado)ou segui por um dos caminhos que saem pela parte superior da aldeia e descer depois para o rio.

SERRA GERÊS [Cascata Arado-Rocalva-Prado Teixeira]

Trata-se de uma clássica marcha da Serra do Gerês. Apesar de ser possível fazer num só dia a pernoita no Prado das Rocas é sempre espectacular.

O percurso sai da conhecida Cascata do Arado, sempre com muita gente no verão nas muitas lagoas que se formam, sobe em direcção norte. Nós costuma-mos fazer uma variante ao percurso mais conhecido desviando-nos a este logo após chegarmos à parte do rio por cima das cascata. Por este lado é sossegado e afastado do reboliço. Nem sempre é fácil dar com a entrada que evita andarmos metidos no meio do mato.