YOSEMITE – Manure Pile Buttress [nutcraker suite + after six]


Descarregar Croqui

Esta parede perdida no meio do vale de Yosemite tem um peculiar nome que dificilmente se esquece: Pilha de Esterno. Na década de 1960 um caminho seguia até à base da parede. Esse caminho circundava lateralmente a parede e para quem os seus primeiros metros dava a ideia que a mesma só levava a uma gigantesca pilha de merda onde os funcionários dos estábulos do vale descarregavam o esterco dos cavalos.

Manure Pile também era conhecida como pelo seu nome actual de Ranger Rock dado ser o local de treino dos rangers. Nessa época, e de forma a evitar as autoridades e fugir ao cheiro do esterco, os escaladores habituais evitavam o local. Com o passar do tempo, e o desaparecimento da incomoda pilha, a zona baixa poderá ter sido mais procurada pelos escaladores de fim de semana como zona de iniciação mais sossegada.

Nesta parede existem varias vias sendo as mais conhecidas a Nutcraker e a After Six, ambas abertas por nomes grandes da escalada no vale: Royal Robbins e Yvon Chouinard

NUTCRAKER

Com cerca de 180 metros a Nutcraker Suite (mais conhecida somente por Nutcraker) terá sido a primeira via do vale de Yosemite escalada integralmente com entaladores. Foi aberta por Royal Robbins e a sua esposa, Liz Robbins, no ano de 1967. Depois de em 1966 ele ter estado a escalar em Inglaterra, e ter sido influenciado pela filosofia de escalada limpa usada pelos escaladores deste país, acabou por a experimentar nesta parede abrindo a via Nutcraker Sweet, hoje conhecida unicamente por Nutcraker, abrindo uma nova era em Yosemite. Pode-se ler uma descrição da escalada feita por Liz Robbins no site da revista Alpinist http://www.alpinist.com/doc/ALP23/first-ascent-nutcracker-liz-robbins

É uma via acessível e uma das mais populares no vale. É difícil não chegar à sua base e não encontrar pelo menos uma cordada a subi-la. Com uma aproximação curta, uma rápida descida e fissuras limpas e boas de proteger é uma excelente opção como primeiro contacto com a escalada no vale.

A via tem seis lances com uma dificuldade máxima de aproximadamente Vº/V+ (5.8 americano). Tem 5 lances que nos podem demorar 2 a 4 horas.

 

AFTER SIX

Aberta em Junho de 1965 pelo conhecido Yvon Chouinard, deve o seu nome por este a ter começado a escalar depois das seis da tarde juntamente com Ruth Schneider. É uma via mais acessível do que a Nutcraker com uma dificuldade de Vº (5.7 americano), 180 metros e 6 lances que nos demoram 2 a 4 horas.

Inicia num evidente diedro bem visível para quem se aproxima vindo da area de picnic do El Capitan. Tal como a Nutcraker tornou-se uma via muito conhecida e frequentada, conhecida por se poder fazer segurança de dentro do carro.

 

Acesso à parede

Cinco minutos desde a área de picnic do El Capitain onde se pode chegar em qualquer meio de transporte ou, por exemplo, a andar desde o Campo 4.

Descida

Descer pelo canal do lado esquerdo da parede através de caminho com alguns destrepes fáceis até à base em cerca de 25 minutos.

 

 

 

CASTELO DA NÓBREGA [via da placa]


Descarregar Croqui

Uma via simples, equipada (atenção ao estado do equipamento) e de aproximação curta numa parede com mais possibilidades. Não é parede para quem gosta de dificuldade mas para ocupar uma manhã e regalar os olhos com as excelentes vistas. Em dias quentes de verão, e apesar de virada a norte, é bastante exposta ao sol.

Acesso

Para quem venha de Braga será melhor seguir pela estrada N101 até à povoação de Portela de Vade desviamos. Caso se venha do Porto é mais aconselhável seguir pela A3 e depois IC28 até Ponte da Barca onde seguiremos pela N101. Apesar de demorar um pouco mais e ser mais longo reduzimos o número de curvas até ao Castelo da Nóbrega.

A via

Dois lances com algum espaçamento entre pontos e escalada de placa. No segundo lance é possível fazê-lo até ao caminho que dá acesso ao cimo.

Descida

À direita da via encontramos um caminho com umas protecções laterais em madeira. Este caminho permite o acesso ao cimo e descida novamente ao carro.

Existem mais vias na área circundante e que podem ser consultadas em climbingportugal.blogspot.com.

 

 

 

 

PEÑA VIEJA [esporão dos franceses]

O conhecido esporão dos Franceses é uma clássica nos Picos da Europa. Aberto nos finais dos anos 60 é uma linha excepcional, de dificuldade acessível mas de grande envergadura onde praticamente não existem escapatórias e uma mudança de tempo pode ser muita complicada.

No dia em que a fizemos estava muito vento e o céu com bastantes nuvens ameaçadoras. Na espera de ver como as coisas evoluíam acabamos por entrar mais tarde na parede. Isto em conjunto com um engano na aresta, fruto de já estarmos no limiar da luz do final do dia, fez com que acabássemos já de noite. A sorte é que tínhamos “motorista” à nossa espera pois já chegamos a horas ao teleférico.

CASCATA MISARELA [via belavista]

A via Belavista é uma via de vários lances, totalmente equipados, na zona da Cascata da Misarela, Serra da Freita.

Com grande ambiente, e por vezes bem aérea, é talvez uma das ultimas vias do legado que nos deixou o excelente escalador Sérgio Martins.

CASCATA MISARELA [via do monitor]

Esta via aproveita o início da via Testemunha (primeiro lance usado habitualmente como entrada na via Splash) para depois seguir pela aresta, lance comum com a Belavista, para logo seguir pela direita desta.