PEÑA VIEJA [esporão dos franceses]

O conhecido esporão dos Franceses é uma clássica nos Picos da Europa. Aberto nos finais dos anos 60 é uma linha excepcional, de dificuldade acessível mas de grande envergadura onde praticamente não existem escapatórias e uma mudança de tempo pode ser muita complicada.

No dia em que a fizemos estava muito vento e o céu com bastantes nuvens ameaçadoras. Na espera de ver como as coisas evoluíam acabamos por entrar mais tarde na parede. Isto em conjunto com um engano na aresta, fruto de já estarmos no limiar da luz do final do dia, fez com que acabássemos já de noite. A sorte é que tínhamos “motorista” à nossa espera pois já chegamos a horas ao teleférico.

CASCATA MISARELA [via belavista]

A via Belavista é uma via de vários lances, totalmente equipados, na zona da Cascata da Misarela, Serra da Freita.

Com grande ambiente, e por vezes bem aérea, é talvez uma das ultimas vias do legado que nos deixou o excelente escalador Sérgio Martins.

CASCATA MISARELA [via do monitor]

Esta via aproveita o início da via Testemunha (primeiro lance usado habitualmente como entrada na via Splash) para depois seguir pela aresta, lance comum com a Belavista, para logo seguir pela direita desta.

NARANJO DE BULNES [via paso horizontal]

A via do Paso Horizontal foi a quarta via a ser aberta no Naranjo de Bulnes, depois da Canejo-Pidal, da Schulze e da Victor. Sendo o segundo percurso aberto na cara sul tem talvez um dos lances mais bonitos desta face.

MADEJUNO – TIRO LLAGO [travessia]

A aresta Madejuno-Tiro Llago é uma clássica entre as vias de aresta dos Picos da Europa. Com uma dificuldade acessível é possível juntá-la as outras duas arestas, Altaiz – Torre Hoyo Oscuro e Torre Blanca – Llambrion, para efectuar a designada Linha Schulze, que num dia permitindo-nos “cavalgar” esta fantástica linha de uns 2,5 quilómetros. Mas isso fica para outro post…