SERRA GERÊS [Xertelo-Carris-Cela-Xertelo]

Após vários meses a adiar este percurso finalmente surgiu a oportunidade. Saímos sem termos a certeza de quantos dias ao certo vamos demorar ou mesmo se é possível passar por onde estamos a pensar. Apesar de estarmos em Junho o tempo está relativamente fresco o que ajuda na deslocação.Partimos da pequena aldeia de Xertelo em direcção a norte tendo os Carris como objectivo. Seguimos por um óptimo caminho até atingirmos estradão vai para o Porto da Lage.

SERRA GERÊS [Xertelo-Lagoa Marinho-Abrotegas-Xertelo]

Saímos de Xertelo em direcção ao vale do rio Cabril. A saída é pelo caminho que vai em direcção ao moinho de cubo que está indicado na entrada da aldeia. Um pouco antes de lá chegar desviarmos à esquerda por um velho caminho de pé posto. Este está um pouco pior do que pensamos inicialmente mas passa-se. Existem outras duas opções: seguir um caminho que existe nas cartas e que atravessa o rio um pouco antes do estreitamento (que não sabemos o seu estado)ou segui por um dos caminhos que saem pela parte superior da aldeia e descer depois para o rio.

SERRA GERÊS [Cascata Arado-Rocalva-Prado Teixeira]

Trata-se de uma clássica marcha da Serra do Gerês. Apesar de ser possível fazer num só dia a pernoita no Prado das Rocas é sempre espectacular.

O percurso sai da conhecida Cascata do Arado, sempre com muita gente no verão nas muitas lagoas que se formam, sobe em direcção norte. Nós costuma-mos fazer uma variante ao percurso mais conhecido desviando-nos a este logo após chegarmos à parte do rio por cima das cascata. Por este lado é sossegado e afastado do reboliço. Nem sempre é fácil dar com a entrada que evita andarmos metidos no meio do mato.

SERRA GERÊS [Trilho dos Currais]

Não sendo propriamente um habitual dos PR, aproveitei a necessidade de relembrar algumas passagens nesta zona e realizei este. Podemos encontrar o folheto no site da Câmara de Terra de Bouro.

O Trilho dos Currais é um percurso de PR que ao longo de menos de 10 kms percorre a encosta sobranceira das Caldas do Gerês. Inicia junto ao parque de campismo e sobe até ao primeiro planalto da serra.

Pico Perdiguero [subida pelo Vale Remoñe e descida pelo de Lliterola]

Apesar de não ser o mais alto de certeza um dos que tem um conjunto de percurso/desnível na zona de Benasque. Isto claro se o fizermos num único dia.

A subida habitual é pelo vale de Lliterola mas nós optamos por subir o vale de Remuñe e descer por este. O único senão em optar por esta opção é ter que garantir a deslocação entre o inicio e fim do percurso ou confiar na boa vontade de um automobilista, o que nos poupará cerca de 40 minutos de marcha pela estrada.