É possível ir mais leve!

5 Agosto, 2017 at 22:09

Muitos montanheiros andam com peso a mais nas suas mochilas para suas as necessidades. Isto irá fazer com que andam mais lentos. Andando mais lento vão necessitar de mais tempo para fazer o mesmo percurso. Demorando mais tempo no percurso vão necessitar de mais comida o que os leva a ter ainda mais peso.Para evitar isso temos que reduzir o peso base. Entenda-se como peso base a mochila, com todos os itens dentro, excluindo a comida, combustível e agua. Tirando estes três últimos (que podem variar com o numero de dias que vamos estar no monte e ir reduzindo ao longo deles) todos os outros mantém o seu peso seja qualquer for o percurso e a sua duração. É sobre eles que podemos actuar. Também não deve ser considerada a roupa (calças, t-shirt, roupa interior e calçado) que teremos vestida durante a marcha já que estas não estarão dentro da mochila.
Claro que esta análise irá depender das condições que pensamos encontrar. Certamente não é o mesmo fazer uma volta no rigoroso mês de Janeiro ou no temperado mês Maio.
Para podermos fazer uma correcta avaliação podemos utilizar o processo das cinco etapas:
1. Pesar todo o equipamento
2. Reduzir os três grandes (dormida, abrigo e mochila)
3. Eliminar os itens não essenciais
4. Usar equipamento multi-funções
5. Tornar o equipamento mais compacto
Aplicando este método vamos tentar reduzir o peso e eliminar as coisas desnecessárias.
Ter uma mochila que pesa 10 kg na sua totalidade é mais fácil que parece. No entanto, e aplicando o mesmo processo, podemos chegar a uma mochila para um montanheiro ultra-leve (5kg ou menos) mas para isso já é necessário algum investimento e mudança no tipo de equipamento a transportar.
Agora vamos analisar o primeiro ponto. Nas próximas publicações veremos os restantes.

1. Pesar todo o equipamento
Para podermos ter uma ideia onde podemos “cortar” temos que saber o peso de cada um dos itens que transportamos. Para isso pegamos numa balança, tipo a das cozinhas, e pesamos tudo o que temos, e que podemos levar numa marcha, e anotamos até ao grama. Se temos dois sacos-cama pesamos os dois de forma a saber a diferença. Apesar de ser um pouco monótono este passo é essencial para o processo. É importante que não usemos os valores dados pelos fabricantes já que é frequente estes não corresponderem à realidade.
Para ajudar podem descarregar aqui uma folha de cálculo que ajudará a controlar os valores a decidir o que levar da próxima vez.