PEÑA FORNOS – San Isidro [invernal com esqui montanha]

A subida a este cume trata-se de uma actividade bastante simples e segura, mesmo quando o risco de avalanche é elevado, como era o caso quando a realizamos. Sem dificuldade e com um desnível relativamente reduzido e gradual, é aconselhável para conhecer esta zona ou aproveitar um dia de tempo incerto.

PICO DE LA PADIERNA – Picos Europa [invernal pelo Canal de S. Luis]

A subida a este cume é relativamente acessível e curto desde a estação superior do teleférico de Fonte Dé.
No entanto no inverno temos que ter em atenção a dois potenciais perigos durante o caminho: as possíveis avalanches na passagem do Canal de S.Luis e as placas de gelo na rampa final. Esta ultima situação torna mais perigosa a descida do que complica a subida e deve-se a que o Pico de Padierna é

MONT GIOBERNEY – Maciço Ecrins [via normal pela aresta sul]

Percurso acessível e bastante variado. Inicia-se no refugio de La Pilatte, onde se chega após 3 horas de marcha, 8 kms e 860 m de desnível desde a povoação de La Berarde. A parte mais dura desta actividade penso que seja mesmo a aproximação. Por esse motivo é de todo aconselhável fazer a actividade em dois dias e dormir no refugio. Além de dar um gosto especial à actividade, permite-nos apreciar toda a paisagem do maciço de Les Bans e os serviços deste excelente refugio para onde convergem todas as pessoas que realizam actividades em toda esta zona.

A subida ao Mont Gioberney no verão é bastante repetida e é possivel que encontremos mais pessoas neste percurso, considerado como a via normal do lado sul.

TORRE FRIERO – Picos Europa [corredor norte invernal]

O corredor norte da Torre Friero é o maior corredor dos Picos da Europa sendo uma das melhores e mais longas escaladas invernais do maciço central.
A aproximação à sua base inicia-se na povoação de Cordinanes, perto de Posada de Valdeon e de Cain. Se estivermos no final da época ou num ano relativamente seco poderá ser feita quase até à base de sapatilhas. O caminho a percorrer é bastante agradável passando por uma característica zona escavada na rocha que tornou possível esta passagem. Daqui sobe-se o Canal de Asotin até atingir a Vega do mesmo nome. É aconselhável dormir aqui a noite de forma a madrugar na entrada do corredor. A pesar das

BREITHORN – CASTOR – ALPES SUIÇOS/ITALIANOS [travessia e subida vias normais]

A conjugação de subida a estes dois cumes tinha como base um projecto bem maior a colaborar com a “Espaços Naturais”. Por força das condições meteorológicas este não foi possível mas fica aqui a descrição para a subida a estas montanhas pelas suas vias normais.
A actividade proposta permite encarar a subida sem ter feito uma prévia aclimatização (dentro dos limites de adaptação de cada pessoa) mas também é uma travessia pelo que também torna a actividade mais exigente. As dormidas podem ser feitas nos refúgios poupando desta forma o esforço de ter levar o material necessário para acampar e a alimentação para a