TORRE ALTAIZ E OUTROS – PICOS EUROPA [Altaiz, S.Carlos, Padierna e Sierruca]

Como os dias anteriores tinham sido algo duros quando iniciamos esta actividade a ideia era: “vamos a Altaiz e depois vemos”. Acabamos por fazer uma volta e quatro cumes. O ultimo é um esquecido perto “del Cable” e foi por pura brincadeira…

AGULHA PEIGNE [Les Lépidoptéres + Via normal]

Apesar de estarmos em Julho as condições de neve estão péssimas. Chegamos a Chamonix com a ideia da neve e acabamos por optar pela rocha. Mesmo isso terá que ser no intervalo do mau tempo. Acabamos por alterar o projecto e decidir pela Agulha do Peigne subindo pela sua via normal mas iniciando pela Les Lépidoptéres.
Enquanto a primeira data do inicio do século vinte a segunda foi aberta em 28 Julho 1986. Com esta opção queremos entrar mais alto na via normal evitando assim as outras duas entradas habituais: o terreno com muito cascalho da normal ou a concorrida aresta dos Papillons.

CANCHAL DE LA CEJA – Serra Bejar [da plataforma travessia em ski montanha]

Pela sua proximidade com Gredos a Serra de Bejar é relativamente menos explorada e conhecida, a não ser pelas suas pistas de ski de La Covatilla.
É uma serra relativamente arredondada no seu cimo e bastante exposta aos ventos da meseta ibérica. Isto faz com que seja habitual encontrar em quase toda a sua ascensão o terreno coberto por gelo ou ter vento na sua parte

LE RÂTEAU OESTE – Maciço dos Ecrins [aresta oeste]

Este cume, situado no maciço dos Ecrins, apesar de ter uma aproximação glaciar acessível a sua ascensão requer conhecimentos de escalada para ultrapassar o ressalto rochoso de III existente no final. Tem vistas interessantes para o interior do maciço e faz parte da muralha que liga à Meije.

O ponto de partida é a vila da La Grave, conhecida pelas suas pistas de ski durante o inverno. Daqui apanhamos o teleférico que nos dá acesso ao Col

PICO TESORERO – Picos Europa [Via normal em esquis]

Considerado por muitos como o coração dos Picos da Europa. No seu cimo cruzam-se os limites de Leon, Astúrias e Cantábria. De forma cónica este pico tem umas espectaculares vistas para todo o maciço central.

Sem ser uma ascensão complicada no verão, no inverno as dificuldades podem