SERRA VALONGO – PORTO [Zona de Escalada]

Acessos e História

Esta serra fica a cerca de 25 km da cidade do Porto seguindo pela A4 em direcção a Vila Real. Valongo é talvez o local de Portugal onde se escala à mais tempo. Pelo que sabemos desde os anos 40 se percorram as fragas desta serra. Uma delas é a Fraga do Diabo, situada em frente à Fraga Lisa, e que hoje se encontra esquecida. Pela sua proximidade com o Porto foi local de treino para outros objectivos mas também zona de formação sendo nas fragas de Valongo que se iniciaram muitos dos escaladores desta zona.

PEÑA UBIÑA [esporão oeste]

Trata-se de uma escalada acessível que permite subir a este cume desfrutando de umas excelentes vistas para os vales de Babia. Com cerca de 1000 metros de comprimento e 800 de desnível percorre quase integralmente o esporão sendo que as principais dificuldades centram-se nos primeiros lances.
A rocha nem sempre é de boa qualidade,

SERRA FREITA [Zona de Cabaços e Merujal – Misarela]

Acessos e História

As paredes de Cabaços e Merujal situam-se na Serra da Freita, perto de Arouca, também conhecida como Misarela. As duas tem o mesmo nome das povoações junto às quais se situam.

PICO MURCIA [norte directa]

Este cume situa-se no parque natural da montanha palentina, perto da cidade de Guardo. No inverno de 2013 fiz uma actividade com um grupo cujo objectivo era a sua face norte por uma via já existente mas a intensa chuva de sábado, e que nos acompanhou durante a viagem desde Portugal, fez os seus estragos. As várias avalanches que percorreram a entrada da via norte fizeram que optássemos por uma linha mais protegida e segura. Pelo que consegui apurar com escaladores espanhóis habituais desta zona terá sido uma abertura. No domingo saímos de Campooredondo de Alba em direcção a Cardaño de Arriba. O dia ainda estava com bastantes nuvens e muito vento mas parecia quer aguentar. Subimos o vale de Valcabe e a partir da segunda ponte passamos a ter neve continuamente.

PICO ESPIGUETE [corredor nordeste]

Subida invernal pelo corredor NE do Pico Espiguete e descida pelo corredor norte

O cume do Espiguete é uma dos principais da montanha palentina e o corredor nordeste uma das vias mais clássicas da zona. Podemos dividir a ascensão em duas partes. Uma, a subida até ao inicio da via por uma pala de neve e com cerca de 600 metros de desnível, e outra, a via propriamente, com cerca de 400 metros.
Saimos para numa zona conhecida como Pinollano, mais ou menos a meio da estrada que liga Cardaño de Abajo a Cardaño de Arriba.