CURAVACAS [corredor sul]

24 Agosto, 2017 at 23:15

É uma das vias clássicas na montanha Palentina. Aberta nos anos 60 é de uma dificuldade média. Com um excelente acesso desde Vidrieros, de onde podemos admirá-la quase na totalidade, é por vezes subestimada. Como é habitual na montanha só no fim da a descida é que acaba a actividade e este caso é um excelente exemplo. Ter atenção se a montanha está muito carregada de neve já que a face sul, em que podemos incluir a descida, fica exposta ao sol aumentando a possibilidade das avalanches. Convém começar a via cedo de

PEÑA UBIÑA [norte clássica]

22 Agosto, 2017 at 22:14

Trata-se de via mais percorrida da face norte, e uma das mais procuradas da Peña Ubiña. As suas maiores dificuldades concentram-se nos primeiros 3/4 lances sendo no entanto bastante continua até ao final. É nos lances iniciais que encontramos o passo chave da via localizado num pequeno corredor diagonal onde é difícil proteger na rocha. Aqui pode útil uns pitões de gelo, se as condições os permitirem, ou umas estacas de neve.

S.MAMEDE – PÓVOA LANHOSO [Zona de Escalada]

17 Agosto, 2017 at 23:11

Acessos e História

O melhor acesso a S.Mamede é sair de Braga em direcção a Povoa do Lanhoso pela estrada nacional N103 (Braga-Chaves).

Os três grandes

5 Agosto, 2017 at 22:23

Tal como mencionei anteriormente os itens que mais influenciam no peso que transportamos são: a mochila, o saco-cama e a tenda. Ao reduzir nestes três itens vamos notar logo uma diferença no peso total da mochila.
Apesar de ser possível reduzir mais, um bom ponto de partida será tentar que cada um deles não pese mais do que 1,3 kg. Ou seja que o total não ultrapasse os cerca de 4kg. Se um deles é mais pesado algum dos outros terá que compensar.

É possível ir mais leve!

5 Agosto, 2017 at 22:09

Muitos montanheiros andam com peso a mais nas suas mochilas para suas as necessidades. Isto irá fazer com que andam mais lentos. Andando mais lento vão necessitar de mais tempo para fazer o mesmo percurso. Demorando mais tempo no percurso vão necessitar de mais comida o que os leva a ter ainda mais peso.

SENHORA DO SALTO [Zona de Escalada]

5 Agosto, 2017 at 19:35

A Senhora do Salto é uma zona de escalada desportiva e clássica situada perto de Paredes e Aguiar de Sousa, a 25 km do Porto.

É uma zona que nos diz muito dado que muitas das primeiras vias existentes (especialmente as de escalada clássica) foi aberta pelo nós ou em conjunto com outras  pessoas com quem habitualmente escalamos.

SERRA VALONGO – PORTO [Zona de Escalada]

27 Julho, 2017 at 23:16

Acessos e História

Esta serra fica a cerca de 25 km da cidade do Porto seguindo pela A4 em direcção a Vila Real. Valongo é talvez o local de Portugal onde se escala à mais tempo. Pelo que sabemos desde os anos 40 se percorram as fragas desta serra. Uma delas é a Fraga do Diabo, situada em frente à Fraga Lisa, e que hoje se encontra esquecida. Pela sua proximidade com o Porto foi local de treino para outros objectivos mas também zona de formação sendo nas fragas de Valongo que se iniciaram muitos dos escaladores desta zona.

PEÑA UBIÑA [esporão oeste]

27 Julho, 2017 at 22:44

Trata-se de uma escalada acessível que permite subir a este cume desfrutando de umas excelentes vistas para os vales de Babia. Com cerca de 1000 metros de comprimento e 800 de desnível percorre quase integralmente o esporão sendo que as principais dificuldades centram-se nos primeiros lances.
A rocha nem sempre é de boa qualidade,

SERRA FREITA [Zona de Cabaços e Merujal – Misarela]

25 Julho, 2017 at 22:46

Acessos e História

As paredes de Cabaços e Merujal situam-se na Serra da Freita, perto de Arouca, também conhecida como Misarela. As duas tem o mesmo nome das povoações junto às quais se situam.

PICO MURCIA [norte directa]

25 Julho, 2017 at 21:53

Este cume situa-se no parque natural da montanha palentina, perto da cidade de Guardo. No inverno de 2013 fiz uma actividade com um grupo cujo objectivo era a sua face norte por uma via já existente mas a intensa chuva de sábado, e que nos acompanhou durante a viagem desde Portugal, fez os seus estragos. As várias avalanches que percorreram a entrada da via norte fizeram que optássemos por uma linha mais protegida e segura. Pelo que consegui apurar com escaladores espanhóis habituais desta zona terá sido uma abertura. No domingo saímos de Campooredondo de Alba em direcção a Cardaño de Arriba. O dia ainda estava com bastantes nuvens e muito vento mas parecia quer aguentar. Subimos o vale de Valcabe e a partir da segunda ponte passamos a ter neve continuamente.