TIROS NAVARROS + PICO STA.ANA + PEÑA VIEJA [volta entre cumes]

GPS Descrição

Já há alguns anos que queria espreitar os Picos de Sta Ana. Numa outra volta já tinha passado perto mas na altura o objectivo não era esse. Agora que estava sozinho, e os objectivos tinham que ser ajustados a essa realidade, estes picos pareceram uma boa ideia. Como só subir a Sta. Ana parecia pouco revolvi juntar uns cumes perto, os Tiros Navarros. Mas depois de subir estes dois ainda havia energia para qualquer coisa pelo que decidi juntar Peña Vieja para terminar.

Os primeiros objectivos foram o Tiros Navarros que são mais afastados e permitem um descanso das pernas depois da primeira subida. A saída é da estação superior do teleférico de Fuente Dé (1850 m). Para quem achar pouco esta volta pode sempre fazer esta a subida a pé e dispensar o teleférico. Da estação seguimos o caminho para o refúgio da Cabana Verónica até encontrar o evidente caminho à direita que nos leva até ao colo da Canalona. Inicialmente é bem visível o trabalho efectuado na construção deste caminho com o objectivo da tentar fazer exploração mineira nesta zona.

Ao chegar ao colo da Canalona (2444 m) já vemos o primeiro objectivo mesmo em frente. Agora descemos um pouco o cimo do Canal del Vidrio em direcção à base do evidente esporão Este dos Tiros Navarros, sempre tentando não descer demasiado. Na base do esporão, subíamos pelas pendentes por baixo das paredes de rocha procurando uma passagem sobre a direita deste, trepamos umas franjas de rocha até encontrar um canal que sobe para a zona alta do esporão. Continuamos por ele, em direcção ao cimo central dos Tiros (2600 m), antes do qual encontramos um pequeno trepe. Como estava sozinho desisti do cimo sul, pois tem passos de escalada expostos para ir sem segurança, e segui para a direita em direcção ao cume principal (2602 m). Para descer seguimos o mesmo caminho da subida até alcançar novamente o Canal del Vidrio.

Seguimos novamente em direcção ao Colo da Canalona mas um pouco antes desviamos para o Colado de Sta. Ana (2503 m). Deste seguimos em diagonal para a direita em direcção ao colo entre ambos os picos. O caminho é de uma forma geral bem visível. Antes do cume encontramos um passo de IIº que alcança um esporão (cordino rappel) para logo a seguir ganhar a aresta um pouco à direita do cume (2601 m). Voltamos a descer pelo mesmo caminho até novamente chegarmos ao colo entre os picos. Aqui, em vez de continuamos a descer, seguimos a aresta até alcançar o esporão que vem do Collado de Canalona.  Subimos por este com tendência sobre a vertente da Canalona até chegar uma brecha que nos deixa no cimo (2596m). Para descer voltamos ao esporão, desta vez para o seguir destrepando uma pequena brecha (aéreo) que nos deixa na zona mais larga e que segue até ao colo de Canalona.

Resta-nos subir a Peña Vieja. O caminho agora contorna com tendência para a esquerda, passando pela base Torre de los Coteros Rojos, até atingir a evidente pendente que desce do cimo limitada por contrafortes laterais. Aqui vamos encontrar vários caminhos que sulcam a cascalheira de pedra solta que é esta pendente. Vamos subindo tendo sempre em atenção a possibilidade de queda de pedras que pessoas que estejam mais a cima possam soltar, ao mesmo tempo que esta se vai estreitando até chegar à direita ao cume (2613 m). Só nos falta fazer os 800 metros de desnível que nos separam do teleférico seguindo todo o caminho de subida passando novamente pelo Collado de Canalona e o caminho que desce da Cabana Verónica. 

NARANJO DE BULNES [via paso horizontal]

A via do Paso Horizontal foi a quarta via a ser aberta no Naranjo de Bulnes, depois da Canejo-Pidal, da Schulze e da Victor. Sendo o segundo percurso aberto na cara sul tem talvez um dos lances mais bonitos desta face.

MADEJUNO – TIRO LLAGO [travessia]

A aresta Madejuno-Tiro Llago é uma clássica entre as vias de aresta dos Picos da Europa. Com uma dificuldade acessível é possível juntá-la as outras duas arestas, Altaiz – Torre Hoyo Oscuro e Torre Blanca – Llambrion, para efectuar a designada Linha Schulze, que num dia permitindo-nos “cavalgar” esta fantástica linha de uns 2,5 quilómetros. Mas isso fica para outro post…

LOS ARGAOS [aresta los argaos]

A aresta de Los Argaos é a primeira linha de de cumes afiados que encontramos logo por cima do refugio de Vegarredonda e um dos percursos deste género mais clássicos dos Picos da Europa. Relativamente simples, e com várias hipóteses de fuga na parte inicial, é um percurso ideal para uma actividade “rápida” mas com grandes sensações.

Acesso – Depois de alcançarmos o refúgio de Vegarredonda, seguimos para a Llampa Cimera por cima do refúgio antigo, até alcançar o desvio para o Collado La Fragua e para o Porru Bolu. Seguimos para o primeiro onde encontraremos o início desta via.

Picos da Europa [Agulha de Bustamante – Via normal]

A agulha de Bustamante foi a primeira via que escalei no Picos da Europa, durante a primeira vez que viajei até lá no longínquo ano de 1989. O meu cordada era o David Moutinho e estávamos no inicio de quinze dias de escalada. Tal como na altura acho que é uma boa via para ver como é a escalada nos picos: aérea, vertical e quase sempre com uma vista óptima.

A agulha situa-se na grande muralha que vai entre a Torre dos Horcados Rojos e os Picos de Sta. Ana.